terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Compras de Natal

Noite passada a Zaira, a Márcia e eu fomos ao shopping Internacional de Guarulhos para fazermos algumas compras para o Natal.
Chegando lá ficamos desesperados, pois não haviam vagas no estacionamento, então, por sorte, nós conseguimos deixar o carro pelo lado de fora do estacionamento, próximo à saída.
Eu dei dinheiro para a Márcia comprar o meu presente sem que eu soubesse o que era e fui comprar o dela.
Acabei comprando três presentes e foi uma experiência muito interessante. Me diverti bastante fazendo isso.

Mais tarde nos encontramos e fomos comprar os presentes dos meninos. Para o Vinicius compramos o carro que ele estava pedindo, para o Gabriel um patinete e para o Guilherme uma daquelas bolas em que você sobe em cima e fica pulando. Foi muito legal.

Depois jantamos e fomos para casa.
Chegando em casa a Márcia, que nunca teve um Natal tradicional assim, insistiu muito e acabou me dando o presente e eu entreguei dois dos presentes que eu comprei para ela.
O mais legal de tudo foi que nós compramos o mesmo presente, um tabuleiro de xadrez de vidro. Nós dois compramos os mesmos presentes um para o outro. Por isso, para compensar o trauma, eu acabei dando já o coração de pelúcia que eu comprei para ela.
Ficamos muito felizes de ver o quanto nós temos o 'gosto' parecido.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Luzes de Natal

No último domingo, dia 14/12/2008, nós fomos à Av. Paulista ver as luzes de Natal.
Inicialmente a idéia era que fossemos todos aqui de casa, ou seja, o Guilherme, o Gabriel, o Vinicius, a Márcia e eu, mas antes nos resolvemos passar no Cabuçu e chegando lá mudamos os planos.
As crianças resolveram que não queriam ir, prefiriam ficar brincando com os primos e a Mércia queria muito ir, então fomos. A Márcia, a Mércia, o Vinicius e eu de volta para casa para que elas pudessem se arrumar.

Inicialmente fiquei irritado, porque minha intenção era simplesmente passar de carro, e não descer.
Quando estávamos saindo encontramos com a Estéfani e insistimos para que ela fosse conosco, e ela foi.
A noite foi muito divertida.
Na ida, eu passei direto e nós acabamos levando muito mais tempo para chegar. E chegando eu resolvi deixar o carro num estacionamento e ir andar pela avenida. Nós teríamos exatamente até a meia-noite para voltar, senão o estacionamento fecharia e ficariamos à pé.
Eu estava com pouco dinheiro, mas ainda assim nos divertimos bastante.

Na volta passamos no drive-thru do Habibs aqui em Guarulhos. Deixamos a Mércia em casa e chegamos em nossa casa às 2:00 am.

sábado, 13 de dezembro de 2008

Mais um dragão no caminho

Desde que eu me entendo por gente minha vida oscila entre períodos tranquilos, em que nada parece dar errado, ou melhor tudo dá muito certo, e períodos difíceis, em que tudo (e atá um pouco mais) parece dar errado. Sei que é assim para todo mundo, mas quando estamos enfrentando estes períodos difíceis, nos sentimos fracos, fracos demais para lutar e enfrentar os desafios.

Acontece que neste momento estámos enfrentando uma fase assim.
Todos os projetos que estavam indo muito bem, parecem que emperraram. Até o que era impossível de dar errado deu.

Mas eu sei que é como eu falo pra Márcia: Nós já matamos dragões maiores do que este. No final tudo vai dar certo, e é verdade! A cada desafio que superamos, saímos mais fortes e maiores. Talvez por isso estejamos chegando tão longe, por conta de todos os desafios que já enfrentamos.

Espero em breve poder dar meu depoimento aqui novamente falando de como as coisas se resolveram para melhor.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Domingo no litoral

Neste domingo nós acordamos bem cedo e fomos para o litoral.
Eu acabei de pegar minha habilitação, na última sexta-feira, e essa foi nossa primeira viagem como uma família de verdade.
Tivemos alguns problemas de percurso. Eu me esqueci de sacar dinheiro no banco e acabei passando no pedágio sem pagar (longa estória!), mas acabou dando tudo certo.

Nossa primeira parada foi em Itanhaém. Fomos até lá para ver uma casa, pois estamos nos preparando para nos mudarmos para o litoral. Pois, hoje, meu trabalho me permite estar aonde eu quiser.
Vimos a casa (só por fora!) e gostamos bastante. Depois fomos para a praia.

Foi a primeira vez tanto do Guilherme quanto do Vinicius na praia, e eles gostaram bastante.

O Vinicius só ficou muito assutado, o que é perfeitamente normal, com o mar. Nós fomos subindo e paramos na praia do Caiçara, onde tanto a areia quanto a àgua estavam maravilhosos, e ainda por cima o Sol resolveu aparecer e nos fazer compania pelo resto do dia.

O dia foi muito gostoso, infelizmente não conseguimos tirar muitas fotos, mas logo voltaremos e da próxima vez pretendo tirar mais fotos.

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Nossa primeira árvore de Natal

Noite passada a Márcia e eu fomos ao shopping para comprar nossa primeira árvore de Natal. Aliás, a Márcia nunca tinha tido uma árvore de Natal mesmo, diferente de mim que sempre tive um Natal convencional em família.
Passamos mais de duas horas escolhendo cada enfeite, mas valeu a pena.
Ficamos até as 2:00 da manhã montando, e a árvore ficou linda.







Olha a cara de quem aprontou...(entortou a árvore!)


terça-feira, 18 de novembro de 2008

O carro ficou sem bateria

Desde ontem que não conseguimos sair de casa com o carro. Pela manhã quando fui tentar dar partida ele simplesmente não 'funcionou'.
Ficamos até tarde da noite tentando fazer ele pegar no tranco aqui na garagem, a Márcia, o sr Léo e eu. Até o Júnior ajudou, mas não teve jeito.
Esta manhã meu pai passou aqui com seu carro novo (um Escort Van) e tentamos novamente, mas nada, então ele ficou de voltar à noite para me trazer uma outra bateria com carga completa para fazermos o carro pegar.
A Jú veio com a Heloísa, mas nem desceram do carro, e o Vinicius foi com eles para a casa dos meus pais para passar o dia.

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Carta de motorista

Eu dirijo frequentemente desde os 16 anos, tive meu primeiro carro com 19 e estou com o Ka a uns 5 meses, mas ainda não tirei carta de motorista.
A boa nova é que eu consegui tirar minha carta agora, de primeira e sem pagar quebra. Não conheço e nem nunca ouvi falar de alguém que tenha conseguido fazer isso, e eu fiz. Isso só mantém minha média de nunca ter sido reprovado em exame nenhum em toda minha vida.

sábado, 1 de novembro de 2008

Dificuldades iniciais

Depois do primeiro mês com lucros muito bons, no segundo mês a DSoft fechou com uma queda considerável.
Pela primeira vez desde que a DSoft inaugurou eu fiquei sem dinheiro.
Tudo bem que isso era de se esperar, mas não deveria ter acontecido.
O importante é que o DSoft Delivery está quase pronto e a partir da próxima semana poderemos sair vendendo para todo mundo, e se Deus quiser, isso não vai mais acontecer.

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Final-de-semana de descanço


Tirei o domingo para descansar. Fomos para o Cabuçu com as crianças mais a Mara e a Stéfani.
Foi muito gostoso e divertido.
A Márcia e eu tinhamos comprado um pipa bem grande em forma de morcego e estávamos planejando empinar no campinho a quase dois meses, mas quando estávamos lá não tinha vento nenhum, nada mesmo! As àrvores até pareciam pinturas.
Então, para compensar, fomos até o pesqueiro para mostrar para as meninas e acabamos parando para tomar 4 litros de refrigerante e uma porção de peixe frito. O calor estava estonteante.
Vinicius brincou até não se aguentar mais de pé.
Na volta demos uma passada na bica para que elas pudessem conhecer.
Depois, viemos para casa, inclusive o seu Léo (pai da Márcia) que veio para passar uns dias, e ainda ficamos conversando aqui até meia-noite e meia. Com excessão do Vinicius que ficou para dormir nos meus pais.

sábado, 25 de outubro de 2008

Expectativas

As coisas vão indo bem, tanto com a empresa quanto com a família. Estou fazendo vários contatos e trabalhando duro no DSoft Delivery (a primeira versão do DSoft).
Tivemos alguns imprevistos com o Júnior, que adiou uma viagem em uma semana, o que me deixou sem dinheiro e com as contas atrasadas.

Uma boa notícia é que a Elaine está grávida! Ainda está muito no começo, mas já estamos todos muito felizes com isso. Era a única que estava faltando. Parabéns para minha irmãzinha caçula!

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

DSoft Desenvolvimento de Softwares Ltda

Faz um tempo que não escrevo aqui, mas foi por falta de tempo. Acontece que desde 8 de setembro que inaugurei a DSoft no meu home-office e estou trabalhando de casa agora.
Finalmente consegui realizar meu sonho, trabalhar em casa é maravilhoso.
Acaba que eu trabalho muiro mais, e ainda por cima passo mais tempo com minha família. Tenho mais tempo pra mim e ainda ganho muito mais. Só neste primeiro mês eu (ou melhor, a empresa) já faturei praticamente o dobro do que teria ganhado na Dimep.
Meus dias têm diso muito mais corridos e divertidos. Estou realmente muito feliz e animado com minha nova rotina. Espero ter mais etmpo para voltar a escrever aqui.



De Setembro de 2008


De Setembro de 2008


De Setembro de 2008

domingo, 17 de agosto de 2008

Primeira vez no boliche

Noite passada, depois de deixar as crianças com nossos pais, a Márcia e eu fomos, pela primeira vez, ao boliche, lá no shopping Internacional.
Foi muito divertido e valeu a pena!

PS. Apesar de não ter importância, das 4 partidas que jogamos, eu ganhei todas! (uhuu)

quinta-feira, 10 de julho de 2008

Sem grana pra ir embora

Estou completamente desesperado. São 20:00, estou no trabalho, meu salário (que já devia ter caído na minha conta) ainda não caiu, e o carro não tem gasolina o suficiente para chegar em casa.
Pra completar todo mundo já foi embora.
Não tenho nem um Real no bolso e nem em nenhuma conta. Só o que eu tenho é o talão de cheques, mas eu sei o quanto é difícil um posto de gasolina aceitar cheques hoje em dia.
Não sei o que fazer já que ninguém pode me ajudar nesse momento.

segunda-feira, 7 de julho de 2008

Festa de 1 ano da Heloísa

Neste domingo, dia 6 de julho de 2008, foi a festa de aniversário de um ano da Heloísa.
A festa foi no parque do Carrefour da Vila Rio.
Muitos familiares estavam presentes e foi uma festa muito divertida, sobretudo para as crianças, que foram o alvo da festa.
A Heloísa tava muito linda, toda de rosa, inclusive as bochechas, mas desconfio que foi a que menos aproveitou a festa...
Já o Vinicius não parou um segundo, correndo sem parar de um lado para o outro.

Todos nos divertimos muito e a Ju e o Arnaldo estão de parabéns.

terça-feira, 1 de julho de 2008

Manhã de sorte (?)

Nesta manhã, meu pai passou em casa logo cedo pra me emprestar uma grana pra eu poder ir trabalhar. O Arnaldo veio com ele, para aproveitar e pagar uma carona comigo até a estação Tietê.
Até a estação o percurso foi tranquilo, e o fato que me leva a escrever sobre esta manhã aqui é o aconteceu quando eu saí da marginal para deixar o Arnaldo.
Assim que saímos da marginal, o carro, sem aviso prévio, simplesmente deixou de funcionar. Eu tentei ligar de novo e nada. Então abri a porta e pedi pro Arnaldo assumir a direção enquanto eu empurrava pro acostamento. Acabou a gasolina, mas por sorte paramos bem ao lado de um posto de gasolina.
Enquanto eu fui buscar a gasolina o Arnaldo ficou no carro, e daí pra frente as coisas correram sem novidades.
O que me levou a chamar esse post de 'Manhã de sorte' é porqeu, se eu estivesse sozinho as coisas seriam bem piores. E se tivesse parado na marginal, as coisas seriam aincalculavelmente piores.

segunda-feira, 30 de junho de 2008

Nosso apartamento

Ontem, domingo, dia 29 de junho de 2008, a Márcia e eu saimos para buscar as crianças nas casas de nossos pais, mas no caminho resolvemos parar para ver uns apartamentos para comprar.
Resumindo, depois de muito pensar e conversar acabamos dando início à compra de um apartamento de 3 dormitórios em um condomínio de classe média alta na Vila Rosália (na rua da tia Dorinha). As obras ainda não foram iniciadas e a entrega está prevista para dezembro de 2010.
O valor total é de R$ 184.000,00.
Espero que dê tudo certo, e eu não vejo a hora de pegar as chaves...

Festa junina

No último sábado, dia 28 de junho de 2008, fomos a casa dos meus pais para a tradicional fogueira de junho.
Ultimamente esta tem sido uma das únicas datas capaz de reunir a família, ainda que poucos tenham comparecido.
A reunião foi bem legal. Além dos meus pais, minhas irmãs, cunhados e minha sobrinha Heloísa, a tia Regina com o tio Paulo, a tia Roseli com o tio Nivaldo, a Gabriela e o Gabriel , a tia Dorinha, a Vanessa mais a Sabrina, a Luciana com o Alex mais o Léo e a Larissa, e além disso o Felipe também estava lá.
Foi feita uma fogueira e tinha muita coisa pra comer.
Tinham muitas crianças e todos se divertiram muito. E o melhor de tudo é que a Márcia está mesmo mantendo sua decisão de não beber mais. Pra não dizer que não bebeu nada, foi apenas dois dedos de vinho quente, ou seja, dose de criança...
Fomos embora por volta da meia-noite, e as crianças todas ficaram lá. O Vinicius durmiu na casa dos meus pais e os Gabriel e Guilherme na casa da Dona Valdira.
Demos uma carona pra tia Dorinha e a viagem e nossa chegada em casa correu sem problemas. Graças a Deus.

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Mais um dia

O dia hoje começou como um forte candidato a um dos piores dias da minha vida.

Pra começar eu acordei com um pesadelo. Sonhei que um míssil russo havia sido lançado bem no quarto das crianças. A Márcia e eu ìamos desensperados para salvá-los e conseguimos.

Quando o celular despertou, eu não consegui fazer o mesmo e peguei no sono novamente, mas por sorte o Vinicius veio me acordar ainda a tempo de sair de casa sem atraso.

Estava tudo muito bem na estrada, a caminho do trabalho, até que eu peguei um desvio errado na maginal Tietê e me perdi pelos confins de São Paulo, resumindo, cheguei no trabalho com mais de duas horas de atraso. Poucas vezes na minha vida eu fiquei tão nervoso e falei tantos palavrões quanto hoje.

Pra completar eu esqueci meu crachá, logo quando as regras da empresa mudaram, e eu levei mais de 40 minutos só para conseguir pegar um novo crachá para poder almoçar.

Pelo menos durante a tarde tudo correu bem. No trabalho em si as coisas foram sossegadas.

Ainda não saí do escritório, então, espero que o resto do dia corra bem. E na verdade não tem motivos para não ser assim, pois, o verdadeiro motivo para as coisas estarem dando errado é a minha extrema preocupação por conta da minha atual falta de dinheiro.
Não é nada preocupante ao extremo, se analizar de fora, pois o meu salário é muito bom, mas até o fim do mês eu temo que chegue a ficar sem dinheiro nem para vir ao trabalho.

Espero que dê tudo certo!

segunda-feira, 23 de junho de 2008

Ambição

No sábado, resolvemos sair para dar uma volta, pela região mesmo, pelo Lago dos Patos e tal.
Nós fomos, mas só pra dar uma volta mesmo, pois, como estava previsto há dois meses, esse mês estou completamente sem dinheiro.
Bom, no caminho, vimos algumas placas sobre uma condomínio, cujas obras ainda não iniciaram, mas que será construído no Lago doa Patos.
Como não tínhamos nada melhor pra fazer resolvemos parar e dar uma olhada.

Nossa, a Márcia e eu ficamos simplesmente impressionados. Serão apartamentos de altíssimo nível, em uma das melhores regiões de Guarulhos, ou seja, nosso sonho (novo sonho).

Fomos muito bem atendidos e recebidos. Comemos uns salgadinhos e doces e isso fez o passeio valer a pena.

Depois disso ficamos pensando nos apartamentos e isso reativou nossa grande ambição.
Ultimamente eu estava até meio acomodado. Afinal, eu tenho um emprego muito bom, um salário muito bom, e isso pode ser o bastante pra maioria das pessoas.
Sei lá, mas eu acho que eu quero mesmo é ser rico. Não é só ambição, mas estou cansado de ter de fazer conta pra tudo!

Mais uma conquista

Não pude escrever no dia, pois a internet no trabalho é bloqueada e em casa estamos sem internet (esse mês eu não paguei), mas isso é muito importante.
Na segunda-feira passada (16/06/2008), nós pegamos as chaves do nosso primeiro carro. Um Ford Ka vermelho, ano 200, que está novinho.
Estamos muito felizes com mais essa conquista.
Ainda nem pudemos sair pra passear de verdade com o carro, por falta de dinheiro, mas já demos várias voltas com ele, e desde quando pegamos a chave e tenho ido trabalhar todos os dias, exceto no s rodízios (quarta-feira) com ele, e isso tem me poupado várias horas.

segunda-feira, 2 de junho de 2008

Fase boa

Depois de alguns dias de desespero, os últimos dias foram maravilhosos, talvez até uns dos melhores dias de minha vida.
O trabalho está indo bem, mas em casa, está maravilhoso.
Nossa casa está ficando cada vez mais confortável e aconchegante.
A Márcia está se tornando uma mulher melhor, uma esposa melhor e até uma mãe melhor.

É tão gostoso chegar na minha casa quando está tudo bem. Me sinto tão bem, como sempre sonhei. Só espero que isso dure pra sempre.

quarta-feira, 21 de maio de 2008

Desespero

Neste momento eu me encontro completamente desesperado.

A mudança de emprego me desestabilizou completamente financeiramente. As datas de pagamentos não batem, e contribuíram perfeitamente para que eu ficasse o maior tempo possível sem receber.

Para ajudar, meu cliente está enrolando e não fecha logo o próximo trabalho. E como se não fosse o bastante a Márcia ainda me faz uma dívida inadiável (ainda que pequena, apenas R$ 40,00) que eu não tenho dinheiro para pagar hoje.

Não sei mais o que fazer, estou a beira da loucura, pois mal tenho dinheiro para ir para casa. Amanhã é feriado e provavelmente sexta-feira quase todo mundo vai emendar.

Se eu tivesse pensado bem, mais cedo, eu poderia ter ligado para a Cadmus e pedir um adiantamento, mas eu não pensei nisso até que fosse tarde demais. Não sei o que fazer!

domingo, 11 de maio de 2008

Dia das mães

De Família


Neste domingo, dia das mães, nós fomos a casa dos nossos pais.
O Vinicius não acordou muito bem, desde ontem ele está com leves sintomas de gripe, com tosse e com o olho direito irritado.
Por volta do meio-dia meu pai veio nos buscar. No caminho compramos um frango-assado (com batatas assadas) e uma rosca de côco.

O almoço foi muito bom. Minha mãe preparou um macarrão e arroz, e todos almoçamos lá.

Conversei muito com meus pais, sobre meu emprego e minha carreira (que está indo muito bem), sobre a tia Matchú e o Henrique, que estão longe da família, lá no Mato Grosso, e a um tempo já não temos mais notícias deles, e sobre o Vinicius, que está ficando meio rebelde.

Meu pai está muito feliz e empolgado com sua fábrica, que conta atualmente com 3 máquinas de costura e três empregados além da família.

A Márcia e eu passamos um bom tempo na casa do Luiz e da Mércia, conversando com eles, que atualmente estã se planejando para se mudarem para o nordeste ainda este ano.

O dia correu muito bem, e no final da tarde meu pai veio nos trazer em casa. O Vinicius, que durmiu durante toda a viagem, voltou com meus pais para a casa deles para ficar até amanhã à tarde.

O importante foi que eu matei as saudades da minha família, e sobre tudo da minha mãe, que eu já não via desde a última sexta-feira santa. Lhe dei um presente, coisa que a muito tempo eu não fazia e tudo correu muito bem.

Foi um dia maravilhoso.

sábado, 10 de maio de 2008

Sentido da minha vida

De Família
Vocês dois são as coisas mais importantes do mundo pra mim.
Desde que o Vinicius nasceu alguma coisa mudou, a Márcia que eu já amava muito ganhou uma nova importância para mim, pois agora, além de grande amor da minha vida, ela é a mãe do meu filho.

Eu amo vocês!

sexta-feira, 9 de maio de 2008

Muito trabalho

O ritmo diminuiu bastante, mas continuo trabalhando muito. Não só no meu emprego, mas ainda tenho meus projetos que desenvolvo por conta para alguns clientes.
Isso até me rende algum dinheiro, bastante até, porém, às vezes sinto que estou trabalhando demais e preciso de alguma forma de garantir que vai dar resultado.
Eu quero, eu preciso ficar rico, e não posso deixar minha família na mão, por isso eu trabalho tanto.

Espero que valha a pena.

quinta-feira, 8 de maio de 2008

Decepção

Por mais que eu me esforce, por mais que eu tente e converse. parece não estar dando resultado. Eu amo minha esposa e torço muito por ela, mas ela parece não estar dando importância suficiente para isso, pois mesmo depois de todas as nossas conversas ela me decepcionou novamente.
Não é nada muito grave, mas me deixou muito triste...

De Márcia

Revendo os valores

Depois que eu saí da Cybernet, tenho tido muito mais tempo livre, para minha família, para mim mesmo, e isso é muito bom.
Eu era feliz na Cybernet, meu cargo (Gerente de Projetos) e o respeito que eu tinha, meu salário, o local do trabalho (Av Paulista), tudo foi muito bom e foi muito importante para mim. Mas depois que eu saí as coisas mudaram muito.
Eu já estou trabalhando, e o horário de expediente é até maior, porém, eu não tenho mais tantas dores de cabeça.
No meu emprego atual eu sei exatamente o que eu tenho de fazer, afinal eu sou sênior em C e é só isso que eu preciso ser agora.
Ou seja, ganho mais, trabalho menos e tenho mais tempo livre.

Às vezes precisamos mesmo jogar tudo pro alto e reavaliar o que realmente importa pra gente.

Pode até ser que neste momento eu esteja pagando por isso, estando sem grana pra pagar as contas e tal, mas eu sei que no final das contas vai valer a pena, e muito!

domingo, 4 de maio de 2008

Guilherme

Sempre me dei muito bem com o Guilherme. Muito mesmo.
Desde que a Márcia e eu fomos morar juntos, e o Gui ainda era um bebê, nós já nos dávamos muito bem.
Eu sei que não fui (e não sou) o melhor pai do mundo pra ele, e isso me deixa muito triste comigo mesmo.
De qualquer modo, eu fiz por ele coisas que não fiz nem pelo Vinicius. Pois era eu que sempre ia com ele ao posto de saúde para tomar as vacinas, e eu passei muito mais tempo com ele quando bebê do que com o Vinicius, mesmo porque naqueles tempos eu não trabalhava tanto.
Então eu tinha tempo de levar ele na escolinha e buscar entre outras coisas.
Por um tempo até cheguei a ter certeza de que ele era meu filho biológico de tanto que ele se parecia comigo fisicamente.

Mas ultimamente ele tem me decepcionado tanto, me deixado tão triste, que mal consigo olhar pra ele.
Não entendo porquê ele mudou tanto. Está fazendo tudo errado. Quebrando minhas coisas, e estragando nossa casa...

Não consigo mais vê-lo com o mesmo carinho de antes, e não gosto disso.

Sei que em parte a culpa disso é minha mesmo, mas dele também.

No momento não sei o que fazer, mas espero que um dia isso mude...

De Família

Sempre me surpreendendo

Hoje pela manhã tive uma surpresa.
Acordei com a TV ligada na sala, e o som estava bem alto. Fiquei irritado, porque geralmente, o Gabriel é o primeiro a se levantar e ele sempre deixa o volume da TV bem baixa. Outra coisa que me deixou intrigado, é que ele sempre assite a desenhos animados e na TV estavam falando de automóveis.

Então me levantei e fui ver o que estava acontecendo...

O Vinicius estava sozinho, deitado no sofá, bem encolhido (por conta do frio), e assistindo um programa de auto esporte.

Imediatamente fiquei feliz e orgulhoso pelo meu bebê, e desci pra fazer mamadeira pra ele.

De Vinicius

Sensação estranha

Atualmente estou com uma sensação estranha, que não sei como explicar.
Noite passada, eu que ando me sentindo meio estranho, acabei sendo um idiota e descontando em cima da Márcia. Fui muito estúpido, ela só efz um comentário e eu falei um monte, fui muito ignorante mesmo.
Nós estávamos na sala assistindo Matrix Reloaded, e então ela subiu pro quarto.
Eu coloquei o Vinicius pra durmir e fui me deitar com ela.
Não satisfeito com meu surto de ignorância, ainda comecei a falar um monte pra ela na cama. Então ela se levantou e foi se deitar no quarto de hóspedes (futuro home-office).
Nossa, nunca imaginei que seria tão ruim me deitar sem ela. Senti muita falta, e um aperto muito grande no peito. Não conseguia parar de pensar nela. Nossas músicas, nossos momentos...
Foi uma das piores noites da minha vida, até o momento em que ela veio se deitar comigo no meio da madrugada.

Moral da estória. A gente às vezes se esquece de quanto se precisa das pessoas até sentir falta. Eu amo minha esposa, muito, ainda mais do que no início, e sempre mais.

Não quero ficar sem ela...

De Família

quinta-feira, 1 de maio de 2008

Caminhos

Noite passada tive uma conversa muito séria com a Márcia.
Tanto ela quanto eu somos muito sensíveis as coisas ocultas.
Está acontecendo uma coisa muito séria e ela sabe disso tão bem quanto eu, mas sozinha não tem forças para lutar.
O destino da minha esposa está seguindo por um caminho sem volta. E já faz algum tempo que isso vem acontecendo. Uma sombra se aproxima, e o tempo está passando.
Conversamos muito sobre a vida, sobre as coisas e principalmente sobre o que vêm acontecendo.
Acontece que eu não tenho mais o que ensinar para minha querida esposa. Fazem mais de cinco anos que estamos juntos, e nesse tempo todo eu ensinei (e aprendi) tudo o que tinha para ensinar.
Nossa conversa ontem foi sobre isso. Não tinha nenhuma novidade para contar à ela, pois, ela vê as coisas tão bem quanto eu. Esse foi exatamente o motivo de nossa conversa. Eu sempre estarei ao seu lado, sempre poderá contar comigo para todas as coisas. Nunca deixarei que ela enfrente um único problema sozinha, nunca. Mas, dessa vez, ela é quem terá de enfrentar essa batalha e mudar seu destino.
Se continuar assim, ela não terá mais muito tempo conosco...
Já tem um tempo que eu parei de protegê-la totalmente, parei de acobertar e de ser conivente com suas decisões erradas.
Há algum tempo eu tenho ameaçado, dizendo que não estou disposto a ficar mais ao seu lado caso não mude de atitude, mas não foi o suficiente.
A Márcia mudou muito, desde que nos mudamos para a casa nova, agora ela é uma pessoa e esposa infinitamente melhor, porém, ainda faltam algumas coisas para mudar.
Ela sabe disso, sabe tudo o que tem para saber, inclusive sabe que sempre poderá contar comigo, independente do que aconteça. Mas infelizmente, nessa batalha, eu não posso mais intervir. Não está nas minhas mãos. Eu fiz o que devia ser feito, cumpri minha missão de prepará-la para isso, mas a hora é chegada, e agora é sua deixa.

Força amor, você pode vencer mais esse desafio. Faz isso pela sua família que te ama muito...

segunda-feira, 21 de abril de 2008

Nova fase

Depois de mais um ano, estamos entrando numa nova fase.

Se alguma coisa der errado e perdermos tudo o que conseguimos conquistar até agora, o momento da mudança foi esse. Mas se tudo der certo e ficarmos ricos, foi por causa do que está acontecendo nesse momento.

Pedi demissão na Cybernet, onde eu ganhava relativamente bem e estava estabilizado.

Nesse momento eu gostaria de seguir com meu próprio trabalho, com meu home-office, porém, depois de pensar muito e ser acomselhado por todos, decidi que vou trabalhar de empregado até o fim do ano pelo menos.

De qualquer modo, o emprego novo vai me render muito mais grana do que meu emprego anterior, então, não tenho do que me arrepender.

Essa semana, enquanto eu tenho algumas entrevistas, deixo a Cybernet por conta própria.

Mas está tudo bem.

A família está se ajustando aos poucos. Os móveis chegaram (parte deles) e estamos vivendo muito bem.

Então é isso. Por hora vou arrumar outro emprego e começar a encaminhar minha própria empresa, pois esse é meu objetivo, ser empresário.

quinta-feira, 20 de março de 2008

Não à carne

A partir de hoje pretendo nunca mais comer carne na minha vida. Cansei de financiar o assassínio e os mal-tratos à animais indefesos. Animais que têm tanto direito à vida como nós. Animais que eu amo e respeito e pretendo defender e proteger.

Sobrecarga

Não tenho tido muito tempo para escrever, pois tenho trabalhado demais, aliás, tenho trabalhado muito mesmo, nem sei se vale a pena trabalhar tanto. Acordo cedo, durmo tarde, trabalho o dia inteiro, nossa, minha cabeça não aguenta mais, às vezes até falha e pára de funcionar direito.
Sempre quis isso, mas estou a ponto de desistir. Isso tá me desgastando e eu quase nem tenho mais tempo pra mim e pra minha família. A Márcia está estressada, o Vinicius sente minha falta, eu quase não brinco mais com ele e tenho sido meio impaciente até. Com o Guilherme e o Gabriel então, nem se fala. Eu quase nem falo mais com eles.
Não sei o que fazer, assumi um compromisso muito grande. Eu achei que nunca chegaria a esse ponto, ao extremo do meu limite. Sempre pensei que eu não tinha limites, mas, estou perto de encontrar o meu.

domingo, 10 de fevereiro de 2008

Shopping

Hoje acordei bem cedo, pois tenho de entregar um projeto amanhã e ainda falta muita coisa.
Levantei e fui para o meu quarto, que ainda está desocupado por falta dos móveis, pois atualmente estamos durmindo no quarto de hospedes, que futuramente será meu home office.

O trabalho rendeu bastante, eu consegui fazer quase tudo que falta, porém não tudo.

Vinicius passou a noite na casa dos meus pais, e por volta das 16:00 meu pai veio trazê-lo.
A Jú e o Arnaldo tambpem vieram, com a Heloísa. E nós todos, com excessão do meu pai, fomos ao Shopping Internacional passear.
Foi legal, porquê foi a primeira vez que nós saímos juntos assim.

A tarde foi bem gostosa, as crianças (milagrosamente) se comportaram muito bem, e tem uma coisa que aconteceu que eu gostaria de não esquecer:
Certa hora, a Márcia pegou a Heloísa no colo, e ficou brincando com ela. Ao ver isso, o Vinicius parou a alguns metros e ficou olhando para ela, bem sério. De repente, ele fez um biquinho, de tristeza e ficou com uma carinha de choro que nos comoveu a todos.
Logo a Márcia entregou a Helô pra Jú e pegou o Vi no colo, aí ele ficou todo feliz.
Resumindo, ficou morrendo de ciúmes!

terça-feira, 5 de fevereiro de 2008

Trabalho demais

Atualmente estou trabalhando demais. Acabamos de nos mudar para a casa nova, e com isso as despesas aumentaram muito, muito mesmo.
A empresa está indo muito bem, e isso significa e que tenho mais trabalho do que eu posso dar conta.
Minha cabeça anda a mil e não consigo parar de pensar em trabalho, o tempo todo.
A Márcia anda reclamando, sentindo minha falta, e com razão, ultimamente não tenho dado muita atenção a ela mesmo. Eu sinto falta disso também, mas, ela sabe ... eu preciso mais do que nunca trabalahr muito agora.
Ela reclama que nem pro Vinicius eu ando tendo tempo, e é verdade. Agora mesmo ele está aqui do meu lado, brincando com o Scooby Doo e o Toby (um coelhinho de pelúcia) e tentando falar comigo, mas eu estou aqui, terminando algumas coisas para poder durmir.
Eu quero muito poder passar mais tempo com vocês, mas, agora eu preciso trabalhar muito.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Metas para 2008

Metas para 2008

* Me mudar para a casa da av. Gopoúva, que inicialmente estou alugando mas posteriormente irei comprar
* Entregar o projeto Bancreci completo
* Entregar o projeto Visanet antes do prazo estabelecido (3 meses) sem nenhum erro, para homologar de primeira
* Ter um aumento significativo, de cerca de 100% (de 3.5k para +- 7k)
* Comprar a casa da av. Gopoúva
* Comprar um carro para mim e um para a Márcia
* Me casar com a Márcia
* Montar meu home office
* Me tornar um marido melhor
* Aprender uma nova tecnologia
* Contratar mais dois desenvolvedores
* Fechar 3 projetos Loterias
* Aprender um novo idioma
* Tirar carteira de motorista
* Recuperar meu cartão de crédito
* Dar presentes nas datas especiais às pessoas mais próximas
* Lembrar a cada semana de que preciso sempre me aperfeiçoar e me tornar cada vez melhor
* Desenvolver um sistema de ERP

Conquistas de 2007

Conquistas de 2007

* Consegui o emprego na Cybernet LA
* Nos mudamos para nossa casa, ainda que incompleta
* Com a mudança de emprego tive um aumento de quase 100% no salário (de 1.8k para 3.5k)
* Ganhei um notebook da empresa para trabalhar
* Levei a Márcia ao cinema, que foi importante por ser sua primeira vez. E ainda foi seu primeiro filme legendado (Disturbia)
* Levei a Márcia ao Playcenter, que também foi sua primeira vez
* Conquistei muito respeito como programador C. Desenvolvi um sistema FEP em duas semanas que está rodando no cliente. Foi meu primeiro sistema, feito somente por mim, a rodar na rua
* Me estabeleci como programador C Sênior
* Voltei a trabalhar na av Paulista
* Fui promovido à Gerente de Projetos (traineé)
* Coloquei meu primeiro projeto na rua, como gerente
* Consegui um emprego (muito bom) para o meu pai
* Pude contratar um funcionário, o Arnaldo
* Tive minha primeira grande proposta para entrega de um projeto (Visanet)

Mesago.me

Eu estava pensando nessa necessidade que temos de nos comunicar, e em como isso se tornou mais simples com a tecnologia. Contudo, apesar da...