quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Educação financeira - Aposentadoria tranquila

Faz pouco mais de um ano que voltei para o mercado de trabalho "tradicional", abandonando a vida de empresário, na qual não obtive o sucesso esperado, e durante esse tempo aprendi algo muito importante que me fez desistir do sonho de ficar rico através de uma empresa, visando um futuro de sucesso através da vida de empregado.
Depois de ter trabalhado por anos com bolsa de valores, finalmente percebi que, mesmo pessoas que não possuem muita grana, como é meu caso, podem investir e em poucos anos acumular dinheiro suficiente para se tornar rico, podendo assim viver apenas dos lucros gerados à partir destes investimentos.
Me apaixonei pela ideia de acumular ativos, e tenho feito isso durante os últimos meses, além de, finalmente, ter conseguido aprender a ter educação financeira.
Faz muito tempo que não "fico no vermelho", e a sensação de ter dinheiro "sobrando" é ótima!

Basicamente agora, minha meta de vida é seguir trabalhando "empregado", focando na minha carreira, e seguir investindo pela próxima década, para que eu possa me aposentar com tranquilidade e muita grana antes dos 50 anos. Assim ainda vou ter muito tempo para curtir a vida, minha família e o mundo quando ainda vou ter forças, saúde e sanidade para tirar um bom proveito disso.

Hoje invisto em ações, Bitcoins e em títulos do Tesouro Direto.

Não vou passar detalhes porque não sou nenhum especialista. Ainda estou estudando e aprendi o bastante para poder investir com segurança baseado nos meus objetivos. Mas, a internet está cheia de informações para quem quiser aprender sobre investimentos e educação financeira.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Mudando a rotina

Passei o último ano trabalhando com muito empenho em uma empresa de desenvolvimento de jogos.
Estava realmente apaixonado pelo projeto, e sem pensar em mudar de emprego no momento.
Como em poucos momentos na minha vida, estava me dedicando ao máximo, ao ponto de ser classificado como workaholic, pois realmente estava me destacando bastante como um dos membros mais importantes da equipe.
Eu havia me esquecido de como é ser usado como referência positiva, e a sensação me fez voltar a ser o excelente profissional que eu costumava ser.
Entretanto, como nem todos os eventos que acontecem em nossas vidas podem ser previstos, aconteceu que, enquanto eu estava de férias viajando, recebi um convite de um antigo colega de trabalho para conhecer uma outra empresa.
Eu não estava muito disposto a mudar de emprego, mas como eles aceitaram me pagar um valor bem acima do que eu estava ganhando, não tive escolha senão aceitar.
Foi triste me despedir dos colegas, alguns dos quais se tornaram meus amigos, mas a vida é feita de mudanças.
Agora estou completando duas semanas nessa nova jornada, e a cada dia me sinto mais confortável nesse novo ambiente, com essa nova rotina.
Espero que aqui eu possa ter o mesmo desempenho que tive no ano anterior, e se conseguir isso, não terei do que me arrepender.

Começo esse ano também com algo que nunca havia conseguido alcançar antes: Educação financeira.
Finalmente aprendi a controlar minhas finanças, e estou conseguindo até investir uma parte de tudo que eu ganho para minha aposentadoria. Com isso, tenho como meta agora me aposentar antes dos 50 anos e com uma renda mensal que me permita levar uma vida confortável.
Atualmente estou investindo em Tesouro Direto (como todo mundo), ações da Bolsa de Valores e Bitcoins.

sábado, 14 de maio de 2016

Direita ou esquerda?

Direita e esquerda são termos que estão sendo amplamente utilizados, principalmente agora que política se tornou o assunto mais discutido no momento.
Fico muito feliz que tenhamos trocado as conversas sobre novela, futebol e BBB por conversas enriquecedoras e realmente importantes sobre política, direitos e a economia do nosso país.
Enfim, gostaria de esclarecer de forma simplificada à que se referem os termos "direita" e "esquerda" na política.

A origem e as definições desses termos são antigas e complicadas, então quero que me perdoem pela simplicidade com a qual dissertarei sobre elas.

Hoje na política, direita é o posicionamento favorável às empresas e ao capitalismo. Abertura de mercado, baixas de juros, valorização da moeda. Ou seja, tudo que auxiliaria as empresas a crescerem e prosperarem, tudo que aquece a economia e a máquina do capitalismo. Enquanto a esquerda defende os direitos dos trabalhadores, dos mais pobres. Fortalecendo o Estado para que ele possa das suporte para aqueles que precisam de ajuda.

É claro que ambos os lados tem sua "razão". O país precisa de uma economia forte para progredir. As empresas precisam podem se desenvolverem para que possam gerar empregos. É isso que mantem a "classe média", mas a máquina capitalista (assim como uma máquina de verdade), é cruel e perigosa. Quem não consegue fazer parte da máquina é simplesmente descartado a sua própria sorte. É cruel, mas é como o mundo real, a lei da selva. Por isso a esquerda, com seu Estado tomando de conta dos mais fracos se faz importante também, pois, não queremos ver famílias passando fome enquanto tanto alimento é produzido.

A extrema direita não se sustentaria na prática, pois um país não pode ser desenvolvido enquanto uma parcela da população morre de fome.
A extrema esquerda não se sustentaria na prática, pois sem empresas, não teríamos empregos e nem teríamos quem pagasse os impostos que mantem o Estado.

O assunto é infindável, mas eu gostaria de deixar claro que ambos os lados são necessários. O equilíbrio entre essas duas forças é necessária para que tenhamos um país progredindo sem deixar de cuidar daqueles que precisam de ajuda.

Mais detalhes e história na Wikipédia

quarta-feira, 11 de maio de 2016

Política se discute sim

Cresci num mundo em que discutir política, religião e futebol era proibido. Um tabu. O que é bastante compreensível. Em um mundo sem internet, era praticamente impossível para as pessoas comuns terem acesso à todo o tipo de informações que temos hoje na palma da mão. Sendo assim, a maior parte das discussões eram baseadas em opiniões sem fundamentos, em outras palavras, os debates giravam em torno de "achismos".

Hoje não existe mais espaço para "achismos" em uma discussão. Basta fazer uma busca rápida na internet para encontrarmos os fatos. Históricos de personalidades, crimes cometidos, denúncias, tudo está disponível na palma das mãos das pessoas comuns.
Diante desse cenário, se tornou muito comum nos dias atuais os debates em torno do cenário político, o que é ótimo! Se não conversarmos sobre o assunto, se não nos envolvermos, como poderemos conhecer cada candidato e nos tornarmos capazes de votar de forma correta?
A falta de diálogos e de discussões sobre política ao longo da história foi o que nos fez eleger os péssimos representantes que temos. Pois, até agora, os votos foram decididos por puro "achismo" e opinião sem fundamento.


Exerça sua cidadania. Discuta, informe-se, converse com seus amigos e familiares sobre política, pois somente assim podemos fazer nossa parte para que possamos um dia ter um país "limpo" e decente do qual tenhamos orgulho de fazer parte.

segunda-feira, 9 de maio de 2016

Vagas reservadas

Sinceramente eu tenho muita dificuldade em não sentir ódio por pessoas que não respeitam vagas reservadas. Claro que esta não é a única falta de respeito que me faz sentir dessa forma, mas a falta de bom-senso de quem não respeita vagas reservadas é um grande obstáculo para o meu objetivo de amar todas as pessoas.
Pois é, eu tenho esse objetivo sempre em mente, o de amar todas as pessoas, o máximo que eu posso. Até hoje isso tem me feito muito bem, apesar de ser bastante doloroso às vezes.
Mas enfim, vivo tentando entender o que se passa pela cabeça de uma pessoa que vê uma vaga reservada com marcação para pessoas idosas ou deficientes físicos, e simplesmente ignora isso e para seu carro lá. Não consigo aceitar que se trate de uma pessoa boa e de caráter, pois não imagino uma pessoa decente fazendo algo tão desprezível.
Seguindo uma lógica escrota e repulsiva, eles se "confortam" quando existem muitas vagas livres com o argumento pobre de que "tem muitas vagas livres", como se essa fosse realmente uma justificativa para ocupar uma vaga reservada especialmente para uma pessoa que possui necessidades especiais. Na verdade, estão apenas mentindo para si mesmos, se enganando, praticando seu egoísmo que é a raiz de todo o mal desse mundo.
Outras vezes, quando não encontram vagas livres, eles carregam na ponta da língua a 'desculpa' mais nojenta e baixa que alguém nessa situação poderia usar, "é rápido. Já vou sair.". Se você não pode esperar por uma vaga, então um idoso ou um deficiente físico podem né?
Sei que parece exagero, mas preciso evoluir muito ainda até aceitar e respeitar pessoas tão baixas e egoístas que não respeitam os direitos básicos de pessoas que possuem necessidades especiais.

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Eu sou desses

Noite passada, depois de chegar em casa (já tarte), jantar, trabalhar e colocar os meninos para dormir, Ângela e eu fomos ao cinema para ver a pré-estreia do Capitão América : Guerra Civil.
Sim, mesmo tendo acordado cedo para trabalhar, e tendo de acordar cedo no dia seguinte, eu ainda sou do tipo de pessoa (jovem) que abre mão de algumas horas de sono para ver um filme numa pré-estreia. Claro, quando é um filme que me interessa muito.
Sou um tipo de nerd apaixonado por livros de fantasia, por séries (atualmente The Walking Dead, Game of Thrones e Demolidor) e por filmes de heróis. Sobre tudo os filmes da Marvel.
Gosto de como eles nos deixam "acreditar" que de alguma forma tudo aquilo pode ser real. Ou seja, os heróis não tem "poderes" simplesmente "porque sim". Para tudo existe uma tentativa de explicar "cientificamente", e isso é ótimo, porque só precisamos abrir mão de um pouco de racionalidade para acreditar em tudo aquilo.

Esse filme especificamente foi um dos melhores filmes de heróis que eu já vi. Ação do início ao fim, os personagens mais fantásticos e as melhores cenas de combate de heróis do cinema. Assistimos legendado (óbvio) e em 3D, e valeu muito a pena!

Chegamos em casa por volta das 3:30 e eu acabei me atrasando para o trabalho... Mas, como diz no título da postagem, eu sou desses, que colocam seus pequenos prazeres e seu estilo de vida acima do senso comum.

terça-feira, 19 de abril de 2016

Um pouco mais do mesmo

Atualmente estou trabalhando em uma grande empresa na zona sul da cidade de São Paulo. Entre outras coisas, isso significa que eu utilizo cerca de 5 horas dos meus dias nas viagens de ida e volta para o trabalho.
Para que esse tempo precioso não seja desperdiçado completamente, eu tenho sempre algum podcast para ouvir no carro, e algumas vezes ouço músicas, para me manter atualizado. Além de dedicar um bom tempo para minhas reflexões intermináveis também.

Me chateia um pouco o fato do meu carro não ter ar-condicionado, e eu não tenho planos para trocar de carro por enquanto, já que estou dedicando a maior parte dos meus recursos para a construção da casa nova.

Tenho investido boa parte do meu dinheiro e do meu tempo nos finais-de-semana na construção, mas adoro essa parte. Afinal, além de estar construindo algo que vai durar muitas décadas, é um tempo muito importante que eu tenho para conviver com meu pai.
Não sei se ele entende que o motivo de eu fazer questão de participarmos da construção é termos esse tempo juntos, mas o importante é que o temos.

Vinicius tem sido um bom aluno esse ano. Coisa que ele não fazia desde os primeiros anos na escola. E tem se mostrado um garoto muito inteligente e bom. Apesar de ainda ter alguns problemas de comportamento. Nada que prejudique sua personalidade maravilhosa.

Desde que Ângela e Victor voltaram da Bahia, temos convivido muito bem. Victor está mais apegado a mim do que nunca. É muito gostoso quando eu chego e ele vem correndo pular no meu colo gritando "Papai".
Ângela voltou muito mais tranquila também. E temos tido bons dias de paz e felicidade juntos.