sexta-feira, 30 de março de 2012

A corda

Estamos ambos segurando na ponta da mesma corda agora. Em lados opostos, cada um na beira de um abismo. Apoiados apenas pelo peso um do outro.
O primeiro a soltar a corda se salva e deixa o outro cair.
A única maneira de ambos se salvarem é se mantendo confiante no outro, e resistindo à dor nas mãos. Até que alguma inesperada aconteça e nos salve aos dois.

Não posso prever além das decisões que ainda não foram tomadas. Não sei o que vai acontecer, mas o certo é que não quero acabar no fundo de um abismo e nem quero isso pra ela. Força e Fé.

quarta-feira, 28 de março de 2012

Missão cumprida

Depois de tanto tempo, tanta batalha, eu finalmente consegui concluir minha missão com ela, e agora ela não precisa mais da minha proteção. O que é ótimo por um lado, ela está livre da influência negativa que vinha causando tanto estrago na vida dela, mas por outro lado, agora eu perdi meu chão. Passei tanto tempo dedicado integralmente à proteger ela, que agora que ela não precisa mais de mim dessa forma, eu não sei o que fazer. Meu mundo tem girado em torno dela, e agora eu não sinto mais a gravidade.
Ontem me encontrei com ela, e passamos o maior tempo que já passamos juntos, e é triste ver o quanto as coisas mudaram, sem o magnetismo extra.
Fiquei perdido, confuso. Pensei muito, meditei, e cheguei à conclusão de que eu mereço um descanso, e mereço ter a chance de ter um relacionamento 'normal' e um período de felicidade, sem ter de enfrentar nada de sobrenatural.
As coisas mudaram, aliás, muitas coisas mudaram, mas o amor que eu sinto por ela, e que ela sente por mim, continuam intactos, e, como uma amiga me falou ontem, isso é o bastante!
Eu não preciso estar com ela, mas eu quero estar com ela. Eu escolho seguir com esse amor tão lindo.
Eu quero um relacionamento normal, com a garota que eu amo. Um tempo de paz até que a próxima tarefa me seja definida.

Se precisarem de mim, estarei aqui tentando ter uma vida feliz.

quinta-feira, 15 de março de 2012

Recuperando a estabilidade emocional

Depois de passar os últimos meses obsecado por ela. Nos últimos dias tenho começado a recuperar minha saúde emocional.
Encontrar com ela me fez bem, eu estive muito inseguro em relação aos sentimentos dela por mim, pelo fato de termos ficado separados fisicamente por muito tempo, e isso disparava o meu ciúmes e meu medo de perder o que foi tão difícil de encontrar.
Mas agora, depois de termos passado algum tempo juntos, eu percebi que realmente fomos feitos um para o outro, e sentir como ela se sente quando está perto de mim, me devolveu a confiança e praticamente extinguiu o meu ciúmes.
Basicamente estou bem novamente. Voltando a ser eu mesmo. Até consigo passar algumas horas sem mandar um SMS pra ela, e voltei a conversar com as pessoas. O que é muito bom, já que ninguém mais estava com paciência pra me aturar...

E quando eu estava começando a recuperar minha sanidade emocional, a Thalyta Borges uma amiga maravilhosa, me mandou uma frase que me trouxe de volta definitivamente:

A maturidade emocional é um processo contínuo que reflete a capacidade de conhecer e administrar suas emoções e compreender o estado emocional dos outros.
Ela requer do indivíduo ser adulto, ver as coisas realmente como elas são, sem medos, fantasias , preconceitos, dependências ou co- dependências, raivas, frustrações, ciúme etc.

Não costumo citar nomes, mas já que o fiz, não seria justo deixar de mencionar a Maysa Sales a quem eu sempre recorro quando estou desesperado, e que nunca me deixa perder as esperanças, e não me deixa esquecer quem eu sou. Ela é a única pessoa que pode brigar comigo.

segunda-feira, 5 de março de 2012

Final-de-semana

A expectativa para esse final-de-semana foi tão grande quanto à decepção pela qual passei. Depois de esperar ansioso a semana inteira para encontrar a Ângela, no sábado os pais dela resolveram fazer um churrasco e não me deixaram vê-la.
Fiquei tão chateado, que acabei brigando com ela, por sua falta de atitude.
Para me distrair resolvi sair no sábado a noite com meu primo Henrique. Passei a maior parte do tempo ainda discutindo com ela por SMS, e depois de algumas cervejas, acabei falando demais e isso afetou o clima do nosso amor.
No domingo, ainda sem nos vermos, não conseguimos consertar as coisas, e eu fui pro shopping Internacional com Vini, onde encontramos uma amiga minha, a Fabiana, com a filhinha dela. Foi bom poder me distrair pelo menos por alguns instantes, embora tenha passado o tempo todo conversando com Ângela por SMS.
Vini se deu super bem com a menina, e eu tenho que admitir que estar com essa amiga, faz a dor no meu peito machucar menos.

Eu tenho o emprego dos meus sonhos, uma família perfeita e tudo que eu posso querer, agora só preciso resolver minha vida amorosa para poder dizer que sou feliz, porque atualmente não estou.
Se meu amor por ela não fosse tão forte e tão especial, um amor à primeira vista, o mais forte que eu já senti, eu poderia considerar esquecê-la, mas como posso esquecer uma pessoa que faz meu coração disparar e bater tão forte que até dói no meu peito, pelo simples fato de ela estar ao alcance da minha vista?
Como posso esquecer o futuro lindo que eu vou ter ao lado dela?

Dúvidas, escolhas, não sei o que vai acontecer, mas preciso resolver essa questão para enfim, depois de tantos anos poder dizer que estou feliz...

Mesago.me

Eu estava pensando nessa necessidade que temos de nos comunicar, e em como isso se tornou mais simples com a tecnologia. Contudo, apesar da...