quarta-feira, 21 de maio de 2008

Desespero

Neste momento eu me encontro completamente desesperado.

A mudança de emprego me desestabilizou completamente financeiramente. As datas de pagamentos não batem, e contribuíram perfeitamente para que eu ficasse o maior tempo possível sem receber.

Para ajudar, meu cliente está enrolando e não fecha logo o próximo trabalho. E como se não fosse o bastante a Márcia ainda me faz uma dívida inadiável (ainda que pequena, apenas R$ 40,00) que eu não tenho dinheiro para pagar hoje.

Não sei mais o que fazer, estou a beira da loucura, pois mal tenho dinheiro para ir para casa. Amanhã é feriado e provavelmente sexta-feira quase todo mundo vai emendar.

Se eu tivesse pensado bem, mais cedo, eu poderia ter ligado para a Cadmus e pedir um adiantamento, mas eu não pensei nisso até que fosse tarde demais. Não sei o que fazer!

domingo, 11 de maio de 2008

Dia das mães

De Família


Neste domingo, dia das mães, nós fomos a casa dos nossos pais.
O Vinicius não acordou muito bem, desde ontem ele está com leves sintomas de gripe, com tosse e com o olho direito irritado.
Por volta do meio-dia meu pai veio nos buscar. No caminho compramos um frango-assado (com batatas assadas) e uma rosca de côco.

O almoço foi muito bom. Minha mãe preparou um macarrão e arroz, e todos almoçamos lá.

Conversei muito com meus pais, sobre meu emprego e minha carreira (que está indo muito bem), sobre a tia Matchú e o Henrique, que estão longe da família, lá no Mato Grosso, e a um tempo já não temos mais notícias deles, e sobre o Vinicius, que está ficando meio rebelde.

Meu pai está muito feliz e empolgado com sua fábrica, que conta atualmente com 3 máquinas de costura e três empregados além da família.

A Márcia e eu passamos um bom tempo na casa do Luiz e da Mércia, conversando com eles, que atualmente estã se planejando para se mudarem para o nordeste ainda este ano.

O dia correu muito bem, e no final da tarde meu pai veio nos trazer em casa. O Vinicius, que durmiu durante toda a viagem, voltou com meus pais para a casa deles para ficar até amanhã à tarde.

O importante foi que eu matei as saudades da minha família, e sobre tudo da minha mãe, que eu já não via desde a última sexta-feira santa. Lhe dei um presente, coisa que a muito tempo eu não fazia e tudo correu muito bem.

Foi um dia maravilhoso.

sábado, 10 de maio de 2008

Sentido da minha vida

De Família
Vocês dois são as coisas mais importantes do mundo pra mim.
Desde que o Vinicius nasceu alguma coisa mudou, a Márcia que eu já amava muito ganhou uma nova importância para mim, pois agora, além de grande amor da minha vida, ela é a mãe do meu filho.

Eu amo vocês!

sexta-feira, 9 de maio de 2008

Muito trabalho

O ritmo diminuiu bastante, mas continuo trabalhando muito. Não só no meu emprego, mas ainda tenho meus projetos que desenvolvo por conta para alguns clientes.
Isso até me rende algum dinheiro, bastante até, porém, às vezes sinto que estou trabalhando demais e preciso de alguma forma de garantir que vai dar resultado.
Eu quero, eu preciso ficar rico, e não posso deixar minha família na mão, por isso eu trabalho tanto.

Espero que valha a pena.

quinta-feira, 8 de maio de 2008

Decepção

Por mais que eu me esforce, por mais que eu tente e converse. parece não estar dando resultado. Eu amo minha esposa e torço muito por ela, mas ela parece não estar dando importância suficiente para isso, pois mesmo depois de todas as nossas conversas ela me decepcionou novamente.
Não é nada muito grave, mas me deixou muito triste...

De Márcia

Revendo os valores

Depois que eu saí da Cybernet, tenho tido muito mais tempo livre, para minha família, para mim mesmo, e isso é muito bom.
Eu era feliz na Cybernet, meu cargo (Gerente de Projetos) e o respeito que eu tinha, meu salário, o local do trabalho (Av Paulista), tudo foi muito bom e foi muito importante para mim. Mas depois que eu saí as coisas mudaram muito.
Eu já estou trabalhando, e o horário de expediente é até maior, porém, eu não tenho mais tantas dores de cabeça.
No meu emprego atual eu sei exatamente o que eu tenho de fazer, afinal eu sou sênior em C e é só isso que eu preciso ser agora.
Ou seja, ganho mais, trabalho menos e tenho mais tempo livre.

Às vezes precisamos mesmo jogar tudo pro alto e reavaliar o que realmente importa pra gente.

Pode até ser que neste momento eu esteja pagando por isso, estando sem grana pra pagar as contas e tal, mas eu sei que no final das contas vai valer a pena, e muito!

domingo, 4 de maio de 2008

Guilherme

Sempre me dei muito bem com o Guilherme. Muito mesmo.
Desde que a Márcia e eu fomos morar juntos, e o Gui ainda era um bebê, nós já nos dávamos muito bem.
Eu sei que não fui (e não sou) o melhor pai do mundo pra ele, e isso me deixa muito triste comigo mesmo.
De qualquer modo, eu fiz por ele coisas que não fiz nem pelo Vinicius. Pois era eu que sempre ia com ele ao posto de saúde para tomar as vacinas, e eu passei muito mais tempo com ele quando bebê do que com o Vinicius, mesmo porque naqueles tempos eu não trabalhava tanto.
Então eu tinha tempo de levar ele na escolinha e buscar entre outras coisas.
Por um tempo até cheguei a ter certeza de que ele era meu filho biológico de tanto que ele se parecia comigo fisicamente.

Mas ultimamente ele tem me decepcionado tanto, me deixado tão triste, que mal consigo olhar pra ele.
Não entendo porquê ele mudou tanto. Está fazendo tudo errado. Quebrando minhas coisas, e estragando nossa casa...

Não consigo mais vê-lo com o mesmo carinho de antes, e não gosto disso.

Sei que em parte a culpa disso é minha mesmo, mas dele também.

No momento não sei o que fazer, mas espero que um dia isso mude...

De Família

Sempre me surpreendendo

Hoje pela manhã tive uma surpresa.
Acordei com a TV ligada na sala, e o som estava bem alto. Fiquei irritado, porque geralmente, o Gabriel é o primeiro a se levantar e ele sempre deixa o volume da TV bem baixa. Outra coisa que me deixou intrigado, é que ele sempre assite a desenhos animados e na TV estavam falando de automóveis.

Então me levantei e fui ver o que estava acontecendo...

O Vinicius estava sozinho, deitado no sofá, bem encolhido (por conta do frio), e assistindo um programa de auto esporte.

Imediatamente fiquei feliz e orgulhoso pelo meu bebê, e desci pra fazer mamadeira pra ele.

De Vinicius

Sensação estranha

Atualmente estou com uma sensação estranha, que não sei como explicar.
Noite passada, eu que ando me sentindo meio estranho, acabei sendo um idiota e descontando em cima da Márcia. Fui muito estúpido, ela só efz um comentário e eu falei um monte, fui muito ignorante mesmo.
Nós estávamos na sala assistindo Matrix Reloaded, e então ela subiu pro quarto.
Eu coloquei o Vinicius pra durmir e fui me deitar com ela.
Não satisfeito com meu surto de ignorância, ainda comecei a falar um monte pra ela na cama. Então ela se levantou e foi se deitar no quarto de hóspedes (futuro home-office).
Nossa, nunca imaginei que seria tão ruim me deitar sem ela. Senti muita falta, e um aperto muito grande no peito. Não conseguia parar de pensar nela. Nossas músicas, nossos momentos...
Foi uma das piores noites da minha vida, até o momento em que ela veio se deitar comigo no meio da madrugada.

Moral da estória. A gente às vezes se esquece de quanto se precisa das pessoas até sentir falta. Eu amo minha esposa, muito, ainda mais do que no início, e sempre mais.

Não quero ficar sem ela...

De Família

quinta-feira, 1 de maio de 2008

Caminhos

Noite passada tive uma conversa muito séria com a Márcia.
Tanto ela quanto eu somos muito sensíveis as coisas ocultas.
Está acontecendo uma coisa muito séria e ela sabe disso tão bem quanto eu, mas sozinha não tem forças para lutar.
O destino da minha esposa está seguindo por um caminho sem volta. E já faz algum tempo que isso vem acontecendo. Uma sombra se aproxima, e o tempo está passando.
Conversamos muito sobre a vida, sobre as coisas e principalmente sobre o que vêm acontecendo.
Acontece que eu não tenho mais o que ensinar para minha querida esposa. Fazem mais de cinco anos que estamos juntos, e nesse tempo todo eu ensinei (e aprendi) tudo o que tinha para ensinar.
Nossa conversa ontem foi sobre isso. Não tinha nenhuma novidade para contar à ela, pois, ela vê as coisas tão bem quanto eu. Esse foi exatamente o motivo de nossa conversa. Eu sempre estarei ao seu lado, sempre poderá contar comigo para todas as coisas. Nunca deixarei que ela enfrente um único problema sozinha, nunca. Mas, dessa vez, ela é quem terá de enfrentar essa batalha e mudar seu destino.
Se continuar assim, ela não terá mais muito tempo conosco...
Já tem um tempo que eu parei de protegê-la totalmente, parei de acobertar e de ser conivente com suas decisões erradas.
Há algum tempo eu tenho ameaçado, dizendo que não estou disposto a ficar mais ao seu lado caso não mude de atitude, mas não foi o suficiente.
A Márcia mudou muito, desde que nos mudamos para a casa nova, agora ela é uma pessoa e esposa infinitamente melhor, porém, ainda faltam algumas coisas para mudar.
Ela sabe disso, sabe tudo o que tem para saber, inclusive sabe que sempre poderá contar comigo, independente do que aconteça. Mas infelizmente, nessa batalha, eu não posso mais intervir. Não está nas minhas mãos. Eu fiz o que devia ser feito, cumpri minha missão de prepará-la para isso, mas a hora é chegada, e agora é sua deixa.

Força amor, você pode vencer mais esse desafio. Faz isso pela sua família que te ama muito...

Mesago.me

Eu estava pensando nessa necessidade que temos de nos comunicar, e em como isso se tornou mais simples com a tecnologia. Contudo, apesar da...