sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Preciso aprender a fazer uma coisa de cada vez

Eu sou assim mesmo, sempre mil coisas passando pela minha cabeça super criativa. Inventando coisas, tendo ideias e querendo desenvolver todos os projetos que me surgem, tudo ao mesmo tempo. Por um lado é ótimo ter uma mente tão vívida e criativa, mas, por outro lado, é bastante cansativo e perigoso, pois, quem faz tudo, acaba não fazendo nada direito.
As consequências desse modo de vida estão pesando mais uma vez. Não consigo resolver completamente os problemas de nenhum cliente, e ainda causei sérios problemas no trabalho por não conseguir focar nos testes como deveria.
Sempre tento ver um lado positivo em tudo e dificilmente me deixo abater, mas dessa vez fiquei bastante chateado com o que eu fiz. Não gosto de decepcionar as pessoas, e quando isso acontece me sinto muito mal.
Geralmente não me importo quando quem sofre sou eu. Eu sei tirar um proveito de praticamente qualquer situação e sei que cada problema que eu resolvo me deixa mais forte, mas, quando a causa do problema sou eu, e, quando nem ao menos posso ajudar a reparar isso, me sinto péssimo. Isso sim acaba comigo!
O lado positivo disso é que, a partir de agora vou trabalhar essa minha "falha de atenção", e me esforçar para trabalhar em uma coisa de cada vez.
Não vai ser fácil, mas, eu sei que posso fazer isso se eu quiser e, acreditem, eu quero!

sábado, 22 de fevereiro de 2014

Escrever

Gostaria de poder escrever mais. Ter mais tempo "disponível".
Na verdade, meu tempo é tão curto que cada postagem tem sido um pequeno milagre.
Tenho concentrado minhas "energias" no projeto Eu vi um Anjo. Atualizado sempre, mudei o layout e até comprei um domínio, mas ainda estamos na casa das 300 visualizações por dia. É bastante se comparar com o histórico, mas ainda é muito pouco para que ele seja considerado um "blog de sucesso". Na verdade, minha meta para este projeto é ter uma média de 3000 visualizações de página por dia. É bastante, eu sei. Uma meta ambiciosa, mas é apenas 10 vezes mais do que conseguimos alcançar hoje.
Porque escrevo?
Na verdade, minha vontade é escrever livros, mas, hoje, seria impossível conseguir tempo para isso. Então, acalmo minha frustração com meus blogs.
Passei alguns dias refletindo sobre qual blog eu levaria mais à sério. Cheguei a pensar em fazer isso com o Dr. Desconhecido, que é mais amplo e me permitira escrever sobre uma variedade mais ampla de assuntos, mas, acabou que me inspirei a voltar a escrever sobre minhas inspirações espirituais.
Estou gostando bastante do conteúdo que estou criando, das mensagens, dos textos. Está me fazendo bem escrever.
Se eu não gostasse tanto da minha profissão, certamente investiria mais na minha carreira de escritor. Sem querer soar ambicioso, acontece que escrever é uma profissão como qualquer outra. Gosto disso, e me faz bem expressar meus pensamentos nessas postagens que publico com tanto carinho.

domingo, 16 de fevereiro de 2014

Vinicius picado por uma vespa

Essa tarde (domingo), eu estava com Victor no colo, fazendo ele dormir no quarto, quando ouvi Vinicius gritando desesperado. Coloquei Victor com a Ângela na cama e corri pra encontrar o Vini, que já estava na sala.
Ele estava gritando com muita dor. Minha mãe chegou até ele alguns segundos antes de mim.
Ele foi picado por uma vespa bem na parte de baixo da testa, entre as sobrancelhas, e estava gritando e chorando de dor.
Quando adolescente tomei 3 picadas dessas, e tive de correr pro hospital, pois meu rosto e pescoço incharam demais.
Esperamos alguns minutos para ver se Vinicius incharia também, e depois de 10 minutos o lado esquerdo do seu rosto começou a inchar.
Coloquei ele no carro e fomos nós dois para o Carlos Chagas.
Chegamos por volta das 15:30 e saímos por volta das 19:00 horas.
Não foi nada demais, mas ele teve de fazer exame de sangue, o que levou bastante tempo.
Foi bom ter esse tempo só nós dois, como nos velhos tempos.
Conversamos bastante, ficamos abraçados esperando. E ele está muito bem!
Ângela ficou chateada por não ter ido, mas foi melhor assim. Demoramos demais e ela ficaria muito preocupada com Victor em casa, mesmo estando com meus pais.

Mola encolhida

Tanta coisa acontecendo, sinto que tenho tanto o que fazer. Já tenho meu trabalho, que me consome bastante, dois filhos e uma esposa que exige tanta atenção, mas não sinto que seja o bastante.
Me sinto como uma mola encolhida, sinto vontade de fazer muito mais.
Tenho a empresa, que apesar de ter poucos clientes, consome bastante da minha energia também. Tanta coisa por fazer.
Agora tenho investido muito trabalho no Eu vi um Anjo também. Meu projeto que está completando 8 anos, e que me orgulho bastante de tudo que ele se tornou.
Mas ainda sinto que não é o bastante!
Quero ter um blog de sucesso, que dê retorno, tanto de visitas quanto financeiro. Sinto que preciso disso para mim. Espalhar as mensagens.
A empresa é uma realidade. Até pensei em abordar, mas não tenho como abandonar os clientes, e além disso, é a única forma de conquistar realmente tudo que eu desejo, pois, por mais que eu trabalhe, como empregado jamais conseguirei isso.
Amo minha família, meus filhos e minha esposa. Nessa parte acredito que já alcancei o que desejava. E, como a família é a base para uma vida feliz, agora só preciso continuar trabalhando nas outras coisas.

Mais metas para o futuro

Estou num momento muito bom e confortável da minha carreira. Depois de décadas trabalhando com desenvolvimento de softwares posso dizer que...