segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Batizado do Victor


Neste domingo (ontem) tivemos o batizado do Vitinho na igreja católica. Foi meu dia de contradições, e eu fiz tudo o que eu geralmente não faço, indo à igreja, bebendo cerveja e comento churrasco.
Apesar de ver o batismo como um evento puramente social, foi uma cerimônia legal. O padre é extremamente teatral, e não foi fácil segurar as risadas, sobretudo no momento em que ele disse que quem não acredita no que o ritual representa podia sair da igreja e minha irmã me segurou instintivamente.
Os padrinhos do Victor são minha irmã do meio, a Juliana e o irmão mais velho da Ângela, o Ronei. Arnaldo e Heloísa foram também, assim como os pais da Ângela.
Victor estava lindo demais, todo vestido de branco e com o cabelo penteado como o meu, com um topete meio moicano.

O batizado foi bem de manhã, e saindo da igreja fomos para casa para os preparativos do almoço. Convidamos poucas pessoas, mas menos ainda vieram. E foi a primeira vez aqui em casa da mãe da Ângela e dos tios Cido e Sandra dela.
Meu pai que estava há 3 dias sem dormir direito, por conta do velório do meu tio João no sábado, levantou para fazer o churrasco e foi dormir.
Choveu um pouco a tarde mas ficamos na varanda bebendo cerveja, comendo churrasco e conversando e foi bel legal.



quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Sobre vida em outros planetas

Gostaria de deixar registrada minha opinião sobre este assunto.
Se considerarmos a imensidão imensurável do universo observável, que pode ser ainda apenas uma parcela do nosso universo. A quantidade incontável de galáxias, cada qual com sua infinidade de estrelas e podendo cada estrela possuir um número ilimitado de planetas. A possibilidade de haverem muitos planetas com características semelhantes ao nosso pequeno planeta azul é extremamente alta. Ou seja, é lógico que devem existir muitos planetas no universo com características semelhantes ao nosso mundo, e sendo assim, capazes de sustentar vida, como a vida que conhecemos.
Ainda existe a possibilidade de que existam formas de vida diferentes da vida que conhecemos. Mas, enfim. Com infinitos mundos contendo vida, e sendo o universo tão antigo, a probabilidade de existirem planetas com vida ainda mais desenvolvida do que a nossa aqui é extremamente alta.
Considere o seguinte: O universo tem 14.500.000.000 de anos, aproximadamente. Nosso planeta tem apenas 4.500.000.000 de anos e a vida na Terra tem 2.500.000.000 de anos. Os seres humanos dominam o fogo há aproximadamente 300.000 anos, e nesse período aprendemos a nos organizar em sociedade. Nossas sociedades mais antigas tem pouco mais de 5.000 anos, e nesse período desenvolvemos a ciência e começamos a explorar o espaço. Agora, imagine uma sociedade com alguns milhares de anos na nossa frente. Considerando todos esses números, alguém pode dizer que isso seria absurdo?
Enfim, por essas e outras razões é que eu acredito SIM que existe vida em incontáveis mundos pelo nosso universo, e que, provavelmente existem muitas civilizações milhões de anos na nossa frente. Não existe NADA que insinue o contrário.

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Tatuagem Soco Inglês


Tatuagem realista em preto e cinza de um soco inglês que acabei de fazer. Curti demais!

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Tatuagem do leão rugindo


Hoje realizei meu primeiro trabalho "realista" em tatuagem. Tatuei este leão que desenhei na minha própria perna (desafio duplo), mas apesar dos erros técnicos causados pela falta de experiência, gostei muito do resultado.

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Desenho da Bárbara


Uma grande amiga de muitos e muitos anos. Longa história. O desenho ficou lindo demais. Adorei desenhar o cachorrinho também para praticar com a textura diferente dos pelos e dos olhos diferentes.

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

terça-feira, 29 de setembro de 2015


Desenho da minha querida amiga de muitos anos, Carina. Ficou lindo demais o desenho. Sem dúvidas o melhor que eu fiz até agora. Achei perfeito em todos os detalhes, inclusive a modelo que é linda demais. Um amor de muitos anos...

Uma pena que a foto do desenho não fique tão boa quanto ele realmente é.

Seguindo aprendendo!

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Desenho da Kelliny


Curti demais desenhar minha grande amiga Kelliny Bandeira, mas, pra ser sincero, esse foi fácil. Ela tem um olhar tão intenso e expressivo e traços tão perfeitos.
Gostei muito do resultado, apesar de ter falhado nos cabelos tão lisos que ela tem. Cabelos ondulados são mais fáceis de reproduzir, aparentemente.

domingo, 20 de setembro de 2015

Desenho da Joyce Siqueira


Desenho da minha lindíssima e queridíssima amiga Joyce Siqueira (Facebook). Uma pessoa muito especial na minha vida. Uma pessoa que eu não sei como deixar de me importar, apesar de não estarmos tão próximos quanto eu gostaria.
Tecnicamente eu gostei bastante do resultado, sobretudo dos cabelos, mas o sorriso eu infelizmente não fui capaz de reproduzir da forma que eu gostaria.


sábado, 19 de setembro de 2015

O universo é dinâmico

Tudo no universo é dinâmico, e tudo está em constante estado de transformação. Os elementos estão sempre se transformando e tudo no universo está em movimento.
Dentre todas as coisas maravilhosas que existem no universo, a vida é a mais sagrada e mais volátil delas. A vida é movimento, transformação, evolução. Vivemos para espalhar a vida e para evoluir. Esse é o sentido mais básico e verdadeiro da vida.

Tendo isso em mente, eu não sinto nenhum remorso ou medo de mudar. Eu sei que mudar é necessário e fantástico! Não fossem as mudanças seríamos como qualquer outro elemento do cosmos. Estáticos. Ou como robôs, programados para realizarem determinadas funções mas sem nada além disso.
Não sou uma máquina, e não existe uma regra simples e universal que defina o que cada um deva fazer de sua vida, então, gosto de estar sempre de olhos e mente bem abertas em busca de novos horizontes e novos objetivos.

Minha empresa é algo em que eu venho trabalhando há muitos anos, mas, não estou de olhos fechados para outros caminhos pelos quais eu me sinta atraído. Se eu achar que determinado caminho vai ajudar no meu caminho evolutivo, não tenho nada que me impeça de seguir por ele.

Estou dizendo isso porque, recentemente reencontrei minha paixão pelo desenho, e estou pensando na possibilidade de aprender a tatuar. Um hobby, ou uma carreira em paralelo, ainda não sei. Espero descobrir o que esse caminho tem a me oferecer.

Desenho da Bianquinha


Desenho da minha sobrinha linda que eu amo demais, Bianquinha. Ela tem cabelos cacheados, mas usei uma foto em que ela estava com os cabelos alisados.

Desenho da Letícia Oliveira


Desse desenho eu realmente gostei. A textura da pele e o nariz ficaram do jeito que eu queria. E, claro, que a modelo ajudou DEMAIS!

Quem quiser ver se ficou parecido, segue o link do perfil da Letícia
https://www.facebook.com/Leehjapa

sábado, 12 de setembro de 2015

Desenho da Stefanie Melo


Desenho da minha concunhada Stefanie Melo. Está ficando cada vez mais fácil e rápido para concluir, embora ainda esteja cometendo diversos erros. Porém, estou trabalhando em cima de cada um deles para aperfeiçoar a cada desenho.

Desenho da Amanda Aparecida


Minha amiga Amanda Aparecida.
Gostei do desenho, apesar de não ter acertado na perspectiva. Foi meu primeiro estudo sério dos cabelos, que ainda estão longe do que eu espero alcançar.
Gostaria de ter refeito com as proporções certas, para captar melhor a beleza dessa moça, mas, a fila está grande, então... ^^

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Desenho da Glenda




Desenho da Júlia Gabriele


Desenho que fiz da minha querida amiga Júlia Gabriele. Uma amiga de infância da minha esposa, que também é surda e está sempre com a gente.
Curti demais esse desenho, apesar de ainda não ter dominado a técnica dos cabelos.

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Desenho da Andreza


Adorei desenhar minha cunhada chata! Foi o melhor desenho de rosto que fiz até agora. A boca ficou perfeita!

Adoro minha cunhada. Ela é dois anos mais velha do que minha esposa, e também é surda. Nos damos muito bem, sempre que podemos chamamos ela pra sair com a gente. Ela é a melhor amiga da minha esposa e pra mim é uma irmãzinha.

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Desenho da Ângela


Ainda não me sinto pronto para desenhar rostos, mas por insistência dela própria eu resolvi tentar.
Ainda tenho muito que praticar antes de conseguir captar toda essa beleza em um desenho *-*

Desenho de um labrador


Nesse desenho eu queria praticar a textura dos pelos, e gostei principalmente do resultado da orelha, que ficou bem realista. Os olhos ficaram bem vivos mas a boca foi a parte mais trabalhosa e mais legal desse desenho. O sombreamento realmente dá uma impressão de dimensão bem legal.
Até a próxima!

Desenho de uma tartaruga marinha


Só mais um desenho que fiz para treinar um pouco dessa textura da pele de uma tartaruga.
Gostei da textura da cabeça e das patas dianteiras principalmente, e no geral o desenho ficou legal.

sábado, 8 de agosto de 2015

O programador

Algumas pessoas passam a vida toda sem saber exatamente no que são bons. Algumas passam anos e anos experimentando diversas "funções" até descobrir algo que realmente gostem de fazer. Já eu, faço o que eu faço desde antes da adolescência, ou seja, desde que me entendo por gente, que eu passo a maior parte do meu tempo na frente de um computador, escrevendo em códigos que todas as máquinas e algumas poucas pessoas são capazes de compreender.
Desde crianças que uma das minhas principais características, é minha incapacidade em aceitar o que me é apresentado sem questionar. Hoje eu entendo porquê os adultos não gostavam muito de mim quando criança, e entendo minha dificuldade em fazer amigos quando adolescente, mas, enfim, sempre fui assim.
Me lembro de debater contra ideias criacionistas das minhas tias quando eu não tinha nem 10 anos. Mesmo com pouco conhecimento, a evolução já era algo completamente claro e "óbvio" para mim (estamos falando dos anos 80).
Desde muito cedo, me lembro que eu sonhava em ser um cientista. A ideia era meio vaga, é claro, mas eu sabia que queria criar coisas, máquinas, robôs...
Então, no meu aniversário de 12 (ou 13) anos, sem nenhum aviso prévio, meu pai me presenteou com um computador. Estamos falando do início dos anos 90.
Eu ganhei um PC 286, com uma gambiarra que fazia com que ele agisse como um 386. O sistema operacional era o DOS 5.0, em inglês, é claro! (pesquise um pouco sobre isso. Trata-se de um SO sem interface gráfica, ou seja, todos os comandos eram executados através de linha de comando.). Não tinha mouse e internet era um sonho tão distante na época quanto a ideia de ter carros voadores agora. E tudo que eu tinha para me "guiar" era um pedaço de papel com meia dúzia de comandos: CD, DIR, PRINCE.EXE ...
O computador tinha alguns jogos (coloridos) que me fez me apaixonar pela ideia de ter um computador no meu quarto, mas, não foi o suficiente para alimentar minha mente insaciável.
Depois de alguns meses me acostumando com os comandos, e depois de ter passado minhas primeiras madrugadas jogando, eu comecei a querer saber mais sobre o que fazia os jogos "funcionarem".
Para isso, tentei abrir os arquivos binários dos jogos em editores de texto, e fiquei perplexo com a complexidade (ali eu já sabia que era isso que eu deveria fazer no futuro). Peguei um dicionário de inglês e comecei a abrir todos os arquivos de "help" que haviam no computador, e foi em uma dessas "buscas" que eu me deparei com o QBasic.
Ao me deparar com essa tela, eu percebi que se tratava do que eu estava procurando, ou seja, era uma ferramenta que poderia ser utilizada para CRIAR sistemas, fazer o computador "pensar" da forma que eu desejava.
Amigos? Brincadeiras? Eu deixei tudo de lado, e virava noites lendo e estudando cada comando da linguagem BASIC nos arquivos de ajuda do QBasic.
No meu computador haviam 3 programas de exemplo: Nibbles (o jogo da cobrinha), King-kong (onde dois gorilas ficavam jogando bananas explosivas um no outro baseados em coordenadas inseridas pelos jogadores) e um programa de cadastro de contatos.
Bom, basicamente foi assim que, aos 13 anos, sem nenhuma ajuda, sem nunca ter feito nenhum curso, sem internet e sem ter ninguém para me ensinar, que eu me tornei um programador.
Na época eu ainda não sabia o que isso significava, e nem que era uma profissão, eu só adorava criar pequenos sistemas, e me desafiar a criar códigos cada vez mais "complexos". Claro que, eu não tinha ninguém para quem apresentar os resultados, então era um prazer solitário que somente anos mais tarde viria a se tornar a profissão da qual eu me orgulho tanto.

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Um novo dia

São vários os pequenos e sutis sinais que me fazem acreditar no "sobrenatural", um deles é essa estranha sensação que tenho antes das grandes mudanças que se aproximam.
Os céticos podem encontrar outras explicações para elas, mas, de alguma forma eu sei que elas são sim um tipo de premonição.
A última delas se referia ao momento que estou vivendo agora, de completa mudança da vida que vinha levando, para essa minha rotina mais tranquila, mais próxima da família e das minhas raízes.
Enquanto ainda estava no meu antigo emprego, coisa que eu havia planejado e sonhado por muito tempo, comecei a sentir que as coisas iriam mudar em breve, e que eu deveria focar em quem eu realmente sou. Enfim, aconteceu, e hoje foi um dia muito importante nessa mudança. Hoje troquei de carro.
Pode parecer bobagem, mas meu antigo carro simbolizada aquela época da minha vida. Foi com ele que eu fugi com Ângela para o litoral, por exemplo. E era ele a última coisa que eu tinha de abandonar para começar de vez esta nova etapa da minha vida.
Agora estou com um carro mais simples e mais novo, um Ka prata 2012. Com novas perspectivas para a empresa, mais focado em alcançar novos clientes. Uma vez que já estamos com raízes fortes, com clientes satisfeitos e o sistema bem completo.
Estou gostando de trabalhar na terra para aliviar o estresse do trabalho mental. E feliz com a ideia de produzir nosso próprio alimento aqui mesmo na nossa propriedade.
Enfim, era isso que eu queria registrar aqui e compartilhar com quem quer que se importe com o que acontece na minha vida.
Até mais.

domingo, 5 de julho de 2015

Festa Junina (em julho) 2015 / Aniversário da Helô

As festas juninas são meu período favorito do ano. Nossas festas da colheita, com fartura de alimentos, música, e todo mundo unido e feliz em volta das fogueiras.São nossa maior tradição familiar. Afinal, nem todo Natal comemoramos em casa, mas toda festa junina fazemos aqui com certeza!
Esse ano não foi diferente. Enfeitamos a chácara com barracas de bambu e bandeirinhas. Coletamos muita madeira pra manter a fogueira acesa a noite toda e, apesar do frio e da garoa, muitos vieram!
Esse ano a novidade foi a música ao vivo, que fez uma grande diferença no nível de alegria do pessoal.
Caldos quentes, bolos, vinho quente, quentão, e muitos doces. Devo ter ganhado alguns quilos com os preparativos da festa e com a festa em si, pois, não parei de comer o tempo todo.
Comemoramos também o aniversário da minha sobrinha, já que ela fez 8 anos na semana passada.


terça-feira, 16 de junho de 2015

Plantando sementes

Estou numa fase de plantar sementes. Literalmente e metaforicamente.
Literalmente, já que estou começando a cultivar alguns vegetais em casa, tomates para começar. Temos muito espaço e gosto da ideia de produzir algo e me tornar um pouco menos dependente do mundo civilizado para viver. A ideia é começar com tomates, e em seguida ampliar para batata-doce, batatas, mandioca e feijões. Mas, tudo sem pressa.
E, literalmente, porquê minha empresa está caminhando, um passo de cada vez, com segurança, para que não tenha que regredir novamente.
Cada cliente é muito importante e eu acredito sinceramente que o que estou construindo agora, vai crescer muito e dar frutos por muito tempo. Estou fazendo isso por mim, pela minha família e pelos meus filhos, pois acredito que essa empresa vai ser uma excelente herança que deixarei por aqui quando eu não estiver mais aqui.


domingo, 24 de maio de 2015

Felicidade

Felicidade, assim como tudo na vida, é um conceito relativo. Não existe uma definição de felicidade que se aplique para todas as pessoas, então, cabe a cada um de nós descobrir o que nos faz feliz.
Pode parecer pouco para muitas pessoas, mas a felicidade para mim é algo bem simples:
A vida que levamos, em família. Todos estando bem e saudáveis, unidos. Sem grandes problemas. Acordando sem muitas preocupações, aproveitando um dia gostoso nesse clima tropical com esta vista maravilhosa que temos aqui. Meus filhos, meus pais, minhas irmãs e minhas sobrinhas aqui brincando no quintal, longe de toda a maldade que infecta o mundo. Isso pra mim basta para que eu me sinta plenamente feliz.
Minha esposa linda que é tudo que eu sempre sonhei. Meu carro, minha casa, minha empresa... não preciso de mais do que isso para ser feliz.

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Aniversário surpresa da Ângela

Não sou bom com segredos e por isso, dificilmente consigo fazer uma surpresa para alguém. Mas esse ano eu me esforcei bastante e 'planejei' uma festa de aniversário surpresa para Ângela.
Na verdade, chamei apenas as pessoas mais próximas. As primas e irmã dela, e algumas poucas amigas, mais o pessoal de casa. Saí sozinho de casa, com desculpa de comprar um presente para o chá-de-cozinha da minha tia, comprei o bolo, brigadeiros e salgados e levei um carro cheio de pessoas para casa.
Chegando em casa, nos esforçamos para ficar escondidos. Com ajuda das minhas irmãs, Patrícia, Amanda, Hellen, Marta e Pedro foram para a laje e ficaram lá esperando que eu voltasse com Andreza, Júlia, Patrícia e o namorado Willian.
Acendemos as velas, preparamos a mesa na sala e eu fui chamá-la, toda desconfiada para a surpresa.
Foi muito legal e divertido.
Como era a noite de carnaval aqui na chácara, e o pessoal veio pra beber e ouvir música alta, aproveitamos e emendamos tudo em uma festa divertida em que as meninas até beberam um pouco e as crianças se divertiram bastante.




A hora de ir embora foi uma aventura à parte, chovendo forte demais. Mas essa é outra história...



segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Eles voltaram

Depois de um mês de muitas saudades, eles voltaram e fizeram tudo voltar ao normal na minha vida.
Foi difícil, mas foi bom passar por esse período. E o reencontro foi muito emocionante.
Quando peguei o Victor no colo, ele levou alguns segundos olhando no meu rosto até compreender, e então a reação dele foi uma mistura de alegria e emoção, ele não sabia se sorria ou se chorava e me abraçou com força com lágrimas escorrendo pelo seu rosto. Chegando em casa, ele teve a mesma reação ao reencontrar minha mãe e o Vini. Foi muito emocionante.


Depois de tanto tempo separados, agora os dois irmãos não se desgrudam mais. Estão se dando super bem e brincando juntos o tempo todo. Victor adora o Vini, e Vini adora o Victor. Estou muito feliz por isso...

E ter minha princesa de volta, depois dessas semanas distantes, me fez ter certeza de que realmente amo essa garota e espero ainda ter muitos anos ao lado dela.

domingo, 1 de fevereiro de 2015

Aniversário de 9 anos do Vinicius

Ele estava muito ansioso por essa data. Desde o ano passado, praticamente todos os dias acordava perguntando quantos dias faltavam para o seu aniversário.
Inicialmente ele queria uma grande festa, mas, quando descobriu que Victor não estaria aqui ainda, decidiu que só queria um bolo, e que depois quer ir para a praia.


Ainda assim, minhas irmãs foram incapazes de deixar essa data passar em branco. E por iniciativa própria Elaine fez um bolo de Kitkat e preparou uma decoração simples, porém carinhosa em sua casa. Encomendou os salgados e doces e convidou a tia Regina, que é madrinha do Vinicius pra cantar Parabéns na casa dela para ele.

Ele brincou muito com as priminhas, e com as primas da Heloísa que também estavam lá. Se divertiu bastante, e ficou todo orgulhoso de estar fazendo aniversário!
Ganhou muitos presentes, alguns que ele mesmo escolheu, e pareceu bastante satisfeito com o aniversário dele.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Um mês sem ela

Desde que estamos juntos, nesses quase 3 anos, nunca conseguimos ficar muito tempo longe um do outro. Apenas uma ou duas noites dormimos separados, quando ela teve que dormir na casa dos pais dela, e foram noites longas e difíceis. Mas agora é diferente. Desta vez ela foi para Bahia, com nosso filho para passar um mês com a família, e, até agora, foram duas semanas muito longas e difíceis.
A saudade que eu sinto dela é muito forte, mas a falta que sinto do nosso filho é absurda!
Eu sabia que seria difícil para ser sincero, e o lado positivo desta experiência é que eu tenho tempo e energia sobrando para investir no trabalho na minha empresa, que tem dado bons resultados.


Ela me faz muita falta. Dormir sem ela ao meu lado não me parece algo natural. E ele me faz muita falta. Quem é pai/mãe sabe do que estou falando...

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Réveillon 2015

Este ano conseguimos fazer algo que planejamos nos últimos dois anos e não tivemos sucesso em realizar, que foi alugar um sítio no interior para passar uns dias com a família na virada do ano.
O sítio que alugamos fica em Guararema. Muitos foram. Todo o pessoal de casa, mais uma pequena parte da família dos meus pais e uma pequena parcela da família da minha mãe.


Foi maravilhoso passar estes 5 dias com a família. O clima estava ótimo, a piscina uma delícia.


Vinicius está nadando muito bem. A piscina não dava pé pra ele, mas em nenhum momento ele precisou de boia. Victor foi a grande surpresa, com sua extrema coragem de pular na piscina, o que exigiu atenção em tempo integral, já que ele pulava na piscina mesmo sem estar usando boias.


Foi muito gostoso e muito divertido. Levei várias opções de entretenimento (notebook, ebook, 3DS) mas não cheguei a precisar de nada disso pra passar o tempo. 5 dias desconectado (já que o sinal do celular lá era péssimo) que foram muito bons para dar um reset na minha mente, e me deixar descansado e preparado para iniciar o ano cheio de energia e vontade para realizar tudo que preciso fazer esse ano.



Mesago.me

Eu estava pensando nessa necessidade que temos de nos comunicar, e em como isso se tornou mais simples com a tecnologia. Contudo, apesar da...