Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2008

Sem grana pra ir embora

Estou completamente desesperado. São 20:00, estou no trabalho, meu salário (que já devia ter caído na minha conta) ainda não caiu, e o carro não tem gasolina o suficiente para chegar em casa.
Pra completar todo mundo já foi embora.
Não tenho nem um Real no bolso e nem em nenhuma conta. Só o que eu tenho é o talão de cheques, mas eu sei o quanto é difícil um posto de gasolina aceitar cheques hoje em dia.
Não sei o que fazer já que ninguém pode me ajudar nesse momento.

Festa de 1 ano da Heloísa

Neste domingo, dia 6 de julho de 2008, foi a festa de aniversário de um ano da Heloísa.
A festa foi no parque do Carrefour da Vila Rio.
Muitos familiares estavam presentes e foi uma festa muito divertida, sobretudo para as crianças, que foram o alvo da festa.
A Heloísa tava muito linda, toda de rosa, inclusive as bochechas, mas desconfio que foi a que menos aproveitou a festa...
Já o Vinicius não parou um segundo, correndo sem parar de um lado para o outro.

Todos nos divertimos muito e a Ju e o Arnaldo estão de parabéns.

Manhã de sorte (?)

Nesta manhã, meu pai passou em casa logo cedo pra me emprestar uma grana pra eu poder ir trabalhar. O Arnaldo veio com ele, para aproveitar e pagar uma carona comigo até a estação Tietê.
Até a estação o percurso foi tranquilo, e o fato que me leva a escrever sobre esta manhã aqui é o aconteceu quando eu saí da marginal para deixar o Arnaldo.
Assim que saímos da marginal, o carro, sem aviso prévio, simplesmente deixou de funcionar. Eu tentei ligar de novo e nada. Então abri a porta e pedi pro Arnaldo assumir a direção enquanto eu empurrava pro acostamento. Acabou a gasolina, mas por sorte paramos bem ao lado de um posto de gasolina.
Enquanto eu fui buscar a gasolina o Arnaldo ficou no carro, e daí pra frente as coisas correram sem novidades.
O que me levou a chamar esse post de 'Manhã de sorte' é porqeu, se eu estivesse sozinho as coisas seriam bem piores. E se tivesse parado na marginal, as coisas seriam aincalculavelmente piores.